Maggots Motherfuckers ↓

Translate/Tradutor

Visualizações do blog:

17 de dez de 2013

Joey Jordison deixa o Slipknot! Como isso pôde acontecer?!

Joey Jordison, ex-baterista do Slipknot.

Olá, caros metaleiros! Já faz um bom tempo desde a última vez em que escrevi pra vocês, mas estou de volta, pelo menos por hoje. O motivo do meu retorno é incerto, mas isso é conversa para mais tarde. Durante a minha ausência, surgiram muitas notícias envolvendo o Slipknot e os membros da banda: o show no Monsters of Rock, novidades e boatos sobre o próximo álbum da banda e declarações dos caras a respeito disso, mas nenhuma foi tão bombástica quanto a saída de Joey Jordison. Eu mesmo fiquei estarrecido quando soube que era mesmo verdade, não dava pra acreditar. Porra, o meu ídolo e a alma do Slipknot... fora da banda? Sabe, pela 1ª vez senti algo estranho em relação ao Slip, uma peça estava fora do jogo e eu nem sabia porquê. Logo após a ideia de aceitação de que Joey Jordison não pertencia mais ao Knot, algumas questões começaram a surgir, a 1ª delas naturalmente foi: porque ele saiu? No site oficial da banda, dizia que a saída dele foi "pessoal" e que tudo seria esclarecido num "futuro próximo". Depois de ler isso, eu só podia pensar em duas coisas: ou o Joey decidiu priorizar o Murderdolls e a nova banda dele, o Scar The Martyr, e por isso saiu do Slip, ou houve algum tipo de conflito interno que levou à sua saída. Até onde eu sei, dentro do Slipknot todo mundo se relacionava razoavelmente bem, era um tipo de convivência aceitável.

Mas a razão do #1 não pertencer mais ao time dos Demônios de Iowa (como o Slipknot era conhecido no estado de Iowa) não era a única das questões ainda vagas. O futuro da banda ainda era incerto, quem seria um "substituto" à altura de Joey, o grupo continuaria o mesmo, quais os planos de agora em diante...? Muitas pontas continuam soltas depois de tal bomba ser jogada em nossas caras, mas sinceramente, acho que muita coisa há de mudar. Após o impacto da morte de Paul, a banda enxugou as lágrimas e continuou mas desde aquela época já faltava algo, a essência não era mais a mesma. Aquela raiva da época do Iowa havia ficado pra trás, não se sentia mais aquele frio na espinha quando o Corey forçava a garganta com o gutural. 

Eu, como fá do Slipknot, sempre procurei defender a imagem da banda com argumentos, mas dessa vez o "baque" de ficar sabendo que Joey Jordison deixou a banda foi demais. A situação não era mais aceitável e ainda não é, porra... como ele pôde sair? Certo que ele não sairia porque de uma hora pra outra decidiu sair, com certeza teve os seus motivos. Talvez o efeito surpresa da notícia tenha piorado ainda mais a dimensão como vimos os eventos depois de ocorridos, mas devo admitir que a ficha levou um tempo pra cair. Nos três dias seguintes eu ainda não havia me convencido que Joey Fucking Jordison tinha pego suas baquetas e ido embora, mas infelizmente aconteceu. Uma dos meus pensamentos mais constantes em relação ao Slipknot é quais são os planos daqui pra frente. Vão mesmo gravar o sucessor de All Hope Is Gone em 2015, vão procurar por um 'substituto" e continuar tocando mundo a fora, vão se focar nas composições e contratar um baterista mais posteriormente? Então, quer dizer, muita coisa ainda ficou sem sentido... foi um tremor e tanto pra quem curte a banda. Foi foda!

Mas particularmente, querem saber? Acho que agora o Slipknot vai se tornar cada vez mais aquelas bandas que depois de passados 10 anos, os fãs olham pra trás e pensam "Antigamente era melhor! Hoje em dia não é a mesma coisa.", mais ou menos o que houve com o Guns N' Roses. Apesar de lidarem com as adversidades, seja da forma que for, não vai voltar a ser como antes. 

Uma das principais questões ainda vagas é a de quem seria o novo baterista do Slipknot, e francamente falando, não faço a menor ideia. Em uma dessas conversas no Facebook, estava falando com o Victor Rodrigues, baterista da Lekhaina (conhecido meu que também toca bateria), sobre a saída do Joey e tudo o que isso envolvia, inclusive a entrada de um novo baterista, e cara, são opções pra caralho! Mas nem tantas assim, porque pra entrar no Knot precisaria ser "O" batera, um com estilo e técnica razoavelmente semelhantes às do Joey. Pelo menos eu, acharia extremamente estranho ver o Slipknot tocando com um batera com um estilo próximo ao dE Dave Lombardo ou Shawn Drover, por exemplo. Ideias pra lá, comentários pra cá e cheguei a conclusão de que um "substituto" à altura seria Matthew McDonough, baterista do Mudvayne. O cara tem um jeito de tocar bem semelhante ao do Joey, possui bastante técnica e velocidade, só peca no quesito presença de palco onde o Joey era realmente único! A condução no china (prato), as viradas, as batidas de cabeça, a bateria vertical... ó Deus, aquela bateria nunca mais vou ver! Mas fora Matthew, não vejo outras opções. Enfim, agora só nos resta esperar e ver o que a banda vai decidir. Só estou certo de que o Slipknot perdeu a sua essência, o Joey levou com ele um pouco da alma da banda. Sem alma, não há conteúdo. Sem conteúdo, não há vida. Ou pelo menos parte dela. A notícia foi triste, mas foi verdadeira! Um verdadeiro tapa na cara pra muitos de nós! 

Mas de qualquer maneira, espero que tenham curtido a postagem! Estou aberto à críticas, elogios, sugestões, dicas ou seja lá que porra for. Comentem, se puderem! stay.